Notícias

STJ dá adeus a ministra guarapuavana Denise Arruda

13 de dezembro

Denise, que foi primeira mulher a ocupar um cargo de direção no judiciário paranaense, era prima da Conselheira Estadual da Seccional da OAB no Paraná, doutora Edni Arruda

A ministra Denise Arruda, que atuou no Superior Tribunal de Justiça (STJ) de 2003 a 2010, faleceu às 15h09 desta quinta-feira (12), em Curitiba, de falência múltipla de órgãos. O velório será realizado na capela do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR).  Denise era prima da Conselheira Estadual da OAB, doutora Edni Arruda.

Foi a primeira mulher da carreira da magistratura a ocupar em caráter efetivo o cargo de desembargadora em seu estado. No STJ, foi a quarta a ocupar o cargo de ministra.

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Felix Fischer, comparecerá ao velório da ministra na capela do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), que começou as 7h desta sexta-feira (13).

Fischer lamentou a morte de Denise Arruda e disse que, além de grande magistrada, ela era uma pessoa de muita sensibilidade, que sempre conseguiu a amizade e o convívio harmônico de todos ao seu redor. A ministra atuou no STJ de 2003 a 2010, quando se aposentou.

Entre os colegas, era considerada uma pessoa de excelente trato. De acordo com o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki, que teve a oportunidade de conviver com a ministra no STJ, Denise Arruda era “uma juíza dotada de especial vocação para o ofício, por sua seriedade, saber jurídico e bom senso”.

Zavascki disse que, pessoalmente, a ministra lhe deixa um legado de admiração pela afabilidade, simplicidade, inteligência e por tudo que a qualifica como um ser humano superior. “É lamentável que tenha partido”, afirmou.

A ministra Eliana Calmon também expressou sua tristeza. “Lamento profundamente o falecimento de uma das mais dignas magistradas brasileiras. Com ela, convivi por cinco anos e, conhecendo-a de perto, aprendi a respeitá-la e admirá-la”, disse.

Carreira

Natural de Guarapuava, município localizado na região centro-sul do Paraná, Denise Arruda nasceu em 9 de fevereiro de 1941 e foi a primeira mulher da carreira da magistratura a ocupar em caráter efetivo o cargo de desembargadora do seu estado.

Formada pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná, iniciou a carreira como juíza substituta da Seção Judiciária de Jacarezinho, em 1966, e atendeu às Seções Judiciárias de Cornélio Procópio, Santo Antônio de Platina, Mallet, Jandaia do Sul, Peabiru, Londrina e Curitiba. Em 1993, foi promovida para o extinto Tribunal de Alçada e, em 2002, assumiu as funções no TJPR.

Por sua contribuição ao Poder Judiciário, o presidente do TJPR, desembargador Guilherme Luiz Gomes, decretou luto oficial de três dias nas repartições judiciárias do estado.

Denise Arruda foi a quarta mulher a tomar posse no STJ. Ela assumiu o cargo de ministra em 18 de maio de 2003 e participou ativamente dos trabalhos da Primeira Turma, da qual foi presidente em 2008. Aposentou-se em 6 de abril de 2010.